8.1.11

Futuro

Eu não quero você na minha cama uma vez ou duas e nunca mais.
Eu quero você na minha cama, no meu coração e na minha vida.
Eu quero você pra acordar do meu lado
E rir da espinha nova que nasceu no meu nariz.
Eu quero você pra tomar banho comigo e me ajudar a esfregar minhas costas
porque eu nunca alcanço e sempre fico revoltada quando você fala nisso.
Eu quero você pra comer da comida que eu faço e reclamar que está salgada demais,
Que não podemos descuidar da pressão e que, desse jeito, vou acabar nos matando.
Eu quero você pra reclamar que trabalho demais e tenho tempo de menos pra você,
Que moramos na mesma casa e nunca nos vemos o bastante.
Eu quero você pra reclamar que uso saias curtas demais.
Eu quero você pra reclamar que sou romântica demais
E que preciso botar meus pés no chão de vez em quando.
Eu quero você pra me dizer não o que quero ouvir, mas o que preciso ouvir,
E pra dizer que estou gorda demais ou magra demais
Ou que estou bebendo demais, ou que, por favor, pare de fumar, vamos ter um filho.
Porque eu quero que você seja o pai da minha filha
E discuta comigo porque não acha Catarina um nome bonito
E fique sem argumentos quando eu explicar porque quero ter uma filha chamada Catarina
E como diabos isso seria uma homenagem ao meu pai
Eu quero que você olhe nos meus olhos e diga 
"Não, ainda não é hora de você ir fazer seu doutorado,
E não importa o quanto Oxford é bonita nessa época do ano.
I'm still working, and I'm not gonna let you go alone."
Eu quero envelhecer ao seu lado.
E o tempo vai passar e eu quero continuar querendo isso.
Eu quero, acima de tudo, poder olhar nos seus olhos
Independente do quando
E sentir que nunca deixamos de ser o que somos hoje:
Dois pós-adolescentes encarando o resto de nossas vidas.

Nenhum comentário:

Compartilhe!