30.12.10

Wanderlust

Esta cidade ficou pequena demais para mim. Este estado ficou pequeno demais para mim. Este país. O próprio mundo, talvez. Abri tanto minha mente que a própria existência é pouco para abarcar tudo o que me define. Quero viajar, quero conhecer outros lugares, outros povos, outras verdades. Não quis pegar um avião simplesmente porque quero, enfim, experimentar na prática toda essa liberdade que eu sei que existe dentro de mim. Hoje, saio daqui Dianna; amanhã, nem sei. Amanhã, será outro lugar diferente, serei outra eu que nunca mais será a mesma.

Quero experimentar ao menos uma vez antes de morrer a sensação do vento selvagem ricocheteando meus cabelos. Voar, com minhas próprias asas, todo o trajeto que até hoje só pude testar pela experiência dos outros. Ir além.

Sinto falta de caminhar sozinha à noite e descobrir novos caminhos. Sinto falta de sentir a chuva fria na minha pele quente enquanto vago a esmo. Sinto falta de cheiros novos. Sinto falta de lugares que nunca conheci. Meu lugar, definitivamente, não é aqui. Estou decidida. Está na hora de partir.

Enfiei os farrapos que restavam da minha vida em uma mochila surrada e joguei nas costas. Não aguento mais ficar neste lugar. Não aguento mais ser eu o tempo inteiro. Não aguento mais manter minhas máscaras de segurança que restaram, depois de tanto tempo num canto só. Mochila nas costas, calcei minhas botas e subi na moto, quiçá para nunca mais voltar.

Um comentário:

Aline disse...

Ai, cara...
Então... ;A;

Compartilhe!