21.12.15

Todo homem é um estuprador em potencial

Essa frase aí do título parece que é o espinho na pata dos homens quando sai da boca de uma feminista. Já ouvi feminista liberal hoje dizendo que isso era discurso de ódio, que era agressão, enfim, uma total falta de empatia com as irmãs, falta de querer entender o que existe nessa frase.

Amigo machinho, entenda: essa frase não é a mesma coisa que apontar o dedo na sua cara e dizer VOCÊ É UM ESTUPRADOR. Ninguém está acusando você em especial de absolutamente nada.

Mas, já que é difícil abstrair e se colocar no lugar de uma mulher, vamos tentar a explicação que dei uma vez para um machinho e que aparentemente funcionou:

Você é uma mulher. Você tem que voltar pra casa à noite. Suas opções são pegar um táxi, possivelmente com um homem motorista de táxi desconhecido, ou voltar de ônibus e depois andar parte do caminho. A primeira opção parece a mais segura, mas o dinheiro nem sempre dá e você NÃO SABE QUEM É AQUELE CARA. Não estou dizendo que todos os taxistas são maníacos, veja bem; mas você não tem como saber o que está se passando na cabeça do cara, certo? E também não dá exatamente pra chegar pro cara e perguntar "oi tio, eu vou pra lugar X, o senhor me leva lá pelo valor da corrida ou vai parar pra me estuprar matar e desovar meu corpo no meio do caminho?", né? Pega mal, é indelicado, e, verdade seja dita, se o plano do cara for a segunda opção não é como se ele fosse responder honestamente.

Então, por falta de dinheiro ou por medo, a gente volta de ônibus pra casa. Desce do ônibus. Tá andando, os poucos metros que faltam pra chegar à segurança do lar, e de repente repara que tem um homem andando atrás de você. Claro, ele pode estar simplesmente andando na mesma direção que você, também tentando chegar em sua própria casa, mas pode não ser. Um homem nessa circunstância pode ter medo de ser assaltado. A gente tem medo é de ser estuprada mesmo, sabe? E, novamente, não é como se desse pra perguntar pro cara na rua "ei, moço, o senhor só tá indo pra casa, tá pensando em me assaltar ou vai me estuprar mesmo? É só pra saber se é pra tirar o chip do celular, começar a correr e gritar ou ficar de boa."

Isso, é claro, daria a entender um adendo na frase que dá título ao texto: "Todo homem desconhecido é um estuprador em potencial." O problema todo reside no fato que estuprador não é só o cara desconhecido que te agarra no beco e rasga suas roupas. Uma pessoa pode ser estuprada* por alguém conhecido, sim. Todos os dias, uma breve pesquisa no google pode fornecer a quem se der ao trabalho dados e notícias sobre estupros cometidos por pessoas próximas da vítima - geralmente familiares ou amigos da família. Um namorado pode estuprar a namorada. Um marido, pasmem, pode estuprar uma esposa - porque não é porque se é casado que o consentimento é implícito. Um amigo pode estuprar uma amiga. E vocês sabem como a gente descobre que essas pessoas que nos são próximas são realmente capazes de cometer um crime como esses? Exatamente: quando eles os cometem. E quando isso acontece, a culpa é sempre nossa - porque estávamos usando "roupas provocantes", porque "demos ousadia pro cara" (e essa ideia de dar ousadia pode inclusive ser "ter a ousadia de se considerar amiga de uma pessoa de gênero diferente do seu"), porque "passamos sinais equivocados" (possivelmente, até mesmo dizer claramente e com todas as letras "não vou transar com você" é um sinal equivocado)... Você não sabe o que está se passando na cabeça da pessoa do outro lado. E nós, mulheres, somos ensinadas desde sempre a ter a crença de que, se deu ruim pro nosso lado em qualquer tipo de relação interpessoal com um homem, é porque a culpa é nossa.

Somos desde sempre ensinadas a não sermos estupradas, enquanto os homens são educados a ser o garanhão da história e a sempre entender um "não" como um "sim" a ser trabalhado. Então, a partir daí, muitas de nós, inclusive e principalmente as que já sofreram algum tipo de abuso na mão de um homem, passamos a vê-los como ameaça. Se você é mordido por todos os cachorros que tentou afagar na vida, você certamente não vai confiar tranquilamente em fazer um afago em qualquer cachorro. Partir do pressuposto de que todo homem é um estuprador em potencial não é uma tentativa das feministas de ofender os homens. É um mecanismo de auto-defesa. E, não por acaso, um dos mais eficazes.

"Ah, mas eu nunca estuprei ninguém, você está me ofendendo de graça!" você pode dizer. Em primeiro lugar: parabéns por fazer o mínimo. Em segundo lugar: todos os estupradores que existem começaram de algum ponto. Em terceiro lugar: em vez de tentar levar pro lado pessoal, tente entender de onde está vindo essa pessoa que está afirmando isso sobre os homens enquanto classe, e não enquanto indivíduos.

E, queridas irmãs, feministas ou não, independente de vertente, que se incomodam com essa frase: vamos tentar praticar um pouco mais de sororidade e se colocar no lugar da outra, em vez de se armar para defender a honra dos homens. Não é pra isso que estamos aqui, e a grande maioria dos homens não se coçaria pra defender a sua ou a minha honra se fosse ela que estivesse em jogo ao sermos taxadas de putas, inclusive em uma situação de estupro.



* e entendamos aqui estupro não apenas como penetração vaginal/anal forçada, e sim como qualquer ato libidinoso praticado sem o consentimento da vítima, mediante violência ou grave ameaça - que pode inclusive ser violência ou ameaça verbal/emocional/psicológica - ou com a vítima vulnerável - seja por ser menor de idade, portadora de alguma doença debilitante ou em estado de consciência alterado

10.12.15

Padrões de Beleza

Então que hoje eu resolvi raspar os pelos das pernas depois de, sei lá, uns 4 meses longe de uma gilete ou algo próximo disso, entre outras coisas porque deu saudades da sensação das pernas lisinhas roçando uma na outra e no lençol (único motivo realmente válido pra se raspar as pernas, aliás. Se você me viu na rua hoje e eu estava roçando as pernas uma contra a outra, não era vontade de ir ao banheiro - eu simplesmente estava curtindo a sensação, mesmo).

Enquanto eu acidentalmente me cortava em partes que eu nem tinha muita certeza se ainda crescia pelo pra ser sincera, fiquei dando uma viajada nos padrões de beleza e no que eles representam.

(Sei que existe toda uma exclusão e/ou fetichização de quem não tem traços brancos/europeus, mas não vou focar nesse ponto porque não é meu local de fala, ok?)

Então, enquanto me mutilava em nome de uma sensação gostosa, fiquei pensando no que é considerado como "uma mulher bem arrumada". Sempre tem a ver com estar bem depilada, cheirosinha, a pele impecável, a maquiagem impecável, barriguinha pra dentro (até mesmo pra quem abre exceções pra ~plus size~, tem um padrão certo pra se ser bonita e arrumada e plus size) e, se possível, para aumentar o padrão de "elegância", de salto alto.

Peraí! Depilada? Sem odores corporais? Pele sem traços de cicatrizes ou acne? Pois é. O padrão de beleza, arrumação e higiene é, basicamente, o de uma mulher que não desenvolveu caracteres sexuais secundários (exceto seios; os seios pode ter sim, quanto mais, melhor, contanto que não sejam caídos, e quanto mais expostos, melhor, a não ser que seja pra amamentar, que aí é uma afronta à moral e bons costumes e uma pouca vergonha). Ou seja: uma mulher que ainda não atingiu a puberdade. Como as mulheres atingem a puberdade quando têm algo entre 8 e 13 anos, o padrão exige que nos esforcemos pra manter o corpo, os odores e o rosto o mais próximo possível de uma menina de 7, talvez 8 anos.

Maquiagem bem feita e "elegante" envolve olhos pintados de forma a parecerem maiores, bochechas coradas de blush e um bom batom para destacar os lábios. Todas essas mudanças sutis de cores e destaques podem ocorrer naturalmente - e todas são associadas à atração e excitação sexual. Olhos mais destacados, bem como lábios mais cheios, chamam mais a atenção de parceiros do sexo masculino, e lábios e face ruborizados podem indicar estado de excitação.

A barriga não-saliente pode ser uma questão de estar "em forma", mas, na ausência do preparo físico, pode-se usar de artifícios tais como cintas compressoras - que mal nos deixam respirar, mas seguram a protuberância abdominal no devido lugar.

O salto alto, considerado elegante e extremamente feminino, prejudica os joelhos e a coluna vertebral, além de dificultar o caminhar.

Depois de muito mastigar isso tudo, no tempo que levou entre me cortar com a gilete e parar de sair sangue, concluí que a tal mulher elegante e arrumada ideal é uma menina de 8 anos, sempre pronta para o sexo e incapaz de fugir.

Ou seja, somos uma sociedade de pedófilos e estupradores sem nem nos darmos conta disso.

Compartilhe!