14.1.12

Superego

Mais uma queda:
Endureço.

Escamas cobrem a carne
Essa couraça não é real
É parte crucial da ilusão

O sorriso cínico
É o disfarce do esgar
O doce dos olhos
Arremata o amargo da boca

O último impacto
Finda a alma, o cristal
Sangue negro escorre pelas paredes
Que não vaze uma gota,
Que não caia uma lágrima.
Não vou deixar você me afogar.

Não vou pedir pra você me afagar.
Não vou pedir pra você se afastar.
De mim, só alegria;
De mim, nada mais.

Fingirei completamente
Que é dor a dor que sinto
Até que se apaguem as luzes
E o baile se encerre.

No escuro do quarto desato os laços:
Sem máscaras e sozinha, sufoco os soluços
E me permito afundar.

Um comentário:

Funny disse...

Parece muito uma relação de amor e ódio... :S

Compartilhe!