2.1.12

Rebirth

Uma vida inteira de solidão pelas costas e, à frente, não parece que vai mudar muito. Parece que você se sabota de propósito. Você conhece alguém legal e age tão de impulso que é como se fizesse questão de fazer papel de louca e afugentar as pessoas. Ou o contrário: conhece uma pessoa maravilhosa, mas ela é tão distante do seu ideal que você é fria, inconsistente e acaba por você mesma fugir do tal como se tivesse visto assombração.

A verdade é que você não tolera que as pessoas gostem de você mais do que você delas, e ninguém que você goste a ponto de cogitar se amarrar conseguiu, até hoje, encontrar o equilíbrio. E você se odeia por isso, por ser tão exigente ao querer mensurar o sentimento alheio.

Por medo de se machucar, você toma a decisão de, mais uma vez, se fechar em sua própria ostra. Não dar mais corda pra ninguém. Se convencer de que não precisa de ninguém, que se basta sozinha, que a única utilidade de outras pessoas no seu mundinho pessoal é pra satisfazer necessidades sexuais e adeus. E segue vivendo assim, intensamente, por quase um mês inteiro, ainda lamentando a última ferida pelos cantos, mas, na fachada, feliz.

Até o dia em que você encontra uma pessoa que parece promissora. Alguém que não te entedia, alguém que parece querer o mesmo que você - ou seja, nada demais. E, à partir desse momento, tudo muda. De novo. E as músicas não descem da mesma forma que antes. E tudo parece querer ter um sentido oculto. E aí bate aquele medo de se jogar demais de novo, de cagar tudo de novo, e aí? Aí, é claro, você se retrai. Melhor que ele não te ache uma louca. Mesmo que acabe dando em nada no final.

E aí fica nessa putaria pra sempre, até o dia em que você percebe que perdeu todas as chances que poderia ter porque ficou com medo de arriscar. E a vida continua.

2 comentários:

Anônimo disse...

Depois diz que não é virginiana =)

Barbedo disse...

Esse é um dos mais bonitos, apesar de simples.

ps: não sei da qual foi, eu não consigo mais comentar como escrava de jah, que merda OASHDUAHSUDE

Compartilhe!