29.12.11

Pela entrada de emergência

"Dar o cu é coisa de mulher submissa", ouvi dizer por aí. Olha, meu cu pra essas pessoas. Não que eu já o tenha dado - sempre tive medinho, dizem que dói, dizem que acidentes estranhos e escatológicos podem acontecer, dizem que vicia, essas coisas. Mas daí a dizer que é coisa de mulher submissa? GENTE.

Sinceramente? Essa história de não querer ser submissa, pra mim, é coisa de feminista frustrada. Daquelas que são tão radicalmente femistas que nem conseguem fazer sexo. Perna cabeluda - porque depilação não é uma questão de se sentir confortável, higiênica e fresquinha consigo mesma, mas sim monopólio masculino da indústria da moda - e um leve lesbianismo mal resolvido (não que ser gostar de mulher seja problema, mas eu gosto é de mulher e não de yeti). Aprendam, revoltadas sem causa: NENHUMA FORMA DE SEXO, CONTANTO QUE DE MÚTUO ACORDO ENTRE AS PARTES, É DEGRADANTE. E, sinceramente, na posição de leiga, acho que sexo anal deve ser a maior exaltação de poder feminino.

VOCÊ ESTÁ NO CONTROLE. Pelo que eu vejo meus amigos falando - pelo menos os que são chegados em uma dungeon -, mulher que dá o cu tem TODAS AS CARTAS NA MÃO. Só tem coragem de fazer isso sem chorar nem olhar pra trás quem é perfeitamente confortável com a própria sexualidade. Se é bom - deve ser, não conheço ex-passivo -, por que não experimentar?

Portanto, aproveitem, meninas. Dêem muito a rabiola e sejam felizes. Qualquer dia desses eu tento também. Sem pseudo-moralismo.

Um comentário:

Anônimo disse...

Mas não é pseudomoralismo se você já tentou, relatou experiência e não deixa textualmente claro? Ou é autopreservação?

"Tentei e nunca mais, dói que só a porra... etc"

Compartilhe!