27.7.11

Saias

Daí que até recentemente eu não sabia que existia uma coisa chamada "saia masculina".

Fiquei aqui pensando com os botões do casaco que não uso, como raios será que funciona um negócio desses? Qual a diferença de uma saia masculina pra uma saia feminina? Será que é mais larga? Será que é mais fechada, sei lá? Fui perguntar pro deus Google, então, e ele me vem com isso:



Pois é. Sacaram a diferença pras saias femininas? Sério? Porque eu não.

Juro pra vocês que, nas minhas fases mais gotiquetes, eu só usava saias assim. E não entendo porque, da noite pro dia, começou essa papagaiada de definir gênero pra saias.

Cabe aqui deixar bem claro que não tenho problema nenhum com homem usando saia. Acho até bonitinho, e imagino que deva ser bem mais confortável. Até porque não posso ser hipócrita, conhecida como sou por usar calças masculinas sem dó nem piedade pelas ruas afora. Meu problema é com a definição de gênero das peças de roupa.

Há aqueles que dizem que a invenção da saia masculina (oi, invenção? Tão aí os escoceses a trocentos milênios pra clamar a honraria) é um marco na liberdade de expressão de gênero. Meu ovo esquerdo imaginário. Liberdade de expressão de gênero no vestuário, no meu entender, implicaria na não distinção de gêneros para peças específicas.

Hoje em dia, vê-se mulher usando de tudo na rua sem maiores estranhamentos. Há anos conquistamos as calças; hoje em dia, suspensórios e gravatas não são de todo incomuns, e até houve a moda da tal da "calça boyfriend". No entanto, para que os homens conquistassem o direito de usar saias sem precisar ir morar nas ilhas britânicas foi necessária a adição do adjetivo "masculino" após o nome da peça de roupa. Se não for uma saia masculina, o cidadão que tá usando só pode ser viado. Né?

Cai no mesmo clichê da homossexualidade. Por algum motivo, homossexualidade feminina é bem mais bem aceita que a masculina. Pergunte ao seu pai. Pergunte ao seu amigo. Pergunte ao seu namorado. Você, mulher bem resolvida, pergunte ao seu pai careta e conservador se ele encararia mais na boa você gostar de mulher ou seu irmão gostar de homem. Sugira ao seu namorado que você encare uma bi-curiosity só pra fazer charminho pra ele e, depois que ele se animar, diga que só faz se ele também o fizer. Duas mulheres se pegando faz parte do imaginário sexual masculino. Já dois homens se pegando... bom, acho que existem motivos de sobra pra crer que não é uma prática tão tranquila assim.

O mundo é machista. Nem venham me chamar de femista radical nos comentários, vocês sabem que é verdade. E só isso explica a necessidade de definir e rotular gêneros em peças de roupas.

Deixo aqui registrado meu protesto e o início da campanha: PELO DIREITO DE HOMEM USAR MINISSAIA DE VINIL ROSA-CHOQUE SE ASSIM DESEJAR. Porque viadagem é ficar se escondendo atrás de nomenclatura imbecil pra assegurar masculinidade, ora porra.

Um comentário:

Barbedo disse...

Concordo plenamente! Velho, até já vi ''shampoo masculino'' acredita numa porra dessa?

Compartilhe!