2.1.11

Nós

Era um sonho. Era uma ilusão. Era uma brincadeira. Era disso que eu passei a última semana tentando me convencer. E aí eu ouvi sua voz. E aí o segredo foi sendo revelado. E aí, uma letra. Uma mensagem bêbada. Declarações. Madrugadas em claro. Um novo ano. E as coisas vão cada vez mais tomando forma e jeito de coisa real. Na verdade, contar pra alguém parece que torna mais real. E assim nossa história vai indo, com as páginas do meu caderno se enchendo cada vez mais de você, a sua lembrança enchendo cada vez mais meu peito e minha cabeça, as expectativas aumentando exponencialmente à medida em que os dias se passam. Eu não achei que eu ainda fosse capaz de dizer ou sentir isso, mas percebi, no pior momento possivel, que sou, e disse com todas as letras. E que você nunca duvide de que é verdade.

Um comentário:

Aline disse...

Meu, me empresta um pouquinho dessa sua capacidade linda de transferir emoções pra palavras?

Tudo o que você escreve passa tanto sentimento...

Compartilhe!