13.12.10

Promessa quebrada

Era o fruto proibido
Era o nunca
Era o irresistível
Era.

O sangue intoxicado
As bocas que se buscam
As mãos
O fogo que consumiu-se
E as estribeiras perdidas
E as roupas espalhadas
A respiração entrecortada

Você entre minhas luxúrias
Eu escorro

Me sussurra
Eu desmancho

À luz da manhã
Me invade
Acordo, enfim.

Nenhum comentário:

Compartilhe!