13.10.10

Retorno

O calor das noites frias
O conforto nas quinas
A máscara que pude, enfim, tirar

Perto, só sei ser eu mesma
Sem esforço nem maldade
Sem esperar compreensão
Sem palavras

Tudo parecia um sonho
Não sei nem se eu sou real
Mas não quero respostas
Só quero ser, real ou não
Só quero estar

Não me importo com a incerteza
Ou finjo que não
Sem ar
Sem chão

Até que o frio ficou quente
E o quente esfriou
E deixou o vazio entrar

Nenhum comentário:

Compartilhe!