1.12.09

Inocência

Do pai recebera a liberdade;
Da natureza, o chamado implacável.
Mulher selvagem, da caça e das feras
Detentora da pureza intocada
Com que dançava em meio às ninfas,
em luz prateada.

Um dia, foi conquistada
Pelo olhar de um caçador
Filho das águas e inimigo do irmão
Que, ardiloso, resolveu o impasse:
Apelando à vaidade da irmã,
desafiou-a que o flechasse.

Quando apercebeu-se do feito
Diana afogou-se em dor
Fez do amado um punhado de estrelas
E nisso, seu cão o acompanhou;
E a deusa, coração em pedaços,
nunca mais se apaixonou.

Compartilhe!