20.8.09

Renascer

Eu lembro de como costumava ficar encantada com a paisagem noturna da orla de Salvador. Recapturei essa memória admirando um coqueiro, esperando o ônibus para voltar do trabalho. Uma memória de quando eu não trabalhava, não estudava e não esquentava minha cabeça com nada. Uma memória de um tempo feliz, porque eu era feliz e nada iria mudar isso. Eu amava e era amada, eu era livre, eu ainda era eu. Tudo era novo e brilhante, e eu adorava caminhar pela praia em noites de lua cheia.

Não sei se foi a forma como a luz dos postes incidiu sobre o coqueiro ou a brisa que vinha do mar ou o quê. Só sei que hoje entendi que é preciso um momento mágico, uma epifania, para recuperar um amor que se julgava perdido. Com olhos doces, a cidade que tão bem me acolheu me fez perceber o quanto a amo, tanto quanto quando a vi pela primeira vez, apesar de todas as agruras e amarguras, de todos os momentos ruins que atravessamos juntas.

Hoje, declaro um recomeço. Este é o recomeço de nossa relação, cidade. Porque hoje você me reconquistou, e me fez sentir grata por você estar em minha vida. Hoje senti esse amor. Que seja eterno enquanto dure.

Nenhum comentário:

Compartilhe!