8.7.09

Pesadelos

Houve uma época em que o amor foi forte e verdadeiro. Quero acreditar que não estou louca, e que realmente existiu um tempo em que simplesmente estarmos juntas foi o suficiente para nos deixar felizes, quando nada era mais importante que a companhia uma da outra. E hoje me pego a te observar dormindo, como um anjo, a cabeça descabelada pousada no meu travesseiro desfeito, enquanto fico aqui, me lamentando por continuar a forçar minha presença na tua atarefada existência. E sonho desperta com passados longínquos e futuros que se afastam cada vez mais nas brumas dos territórios das probabilidades, tão distantes que minhas tímidas asas de borboleta apaixonada em breve perderão a capacidade de alcançar.

Tu acordas, princesa do meu conto de fadas particular, e me olhas séria, limpando a saliva coagulada do canto dos lábios e as areias de Morfeu dos olhos. Me pergunta o que há, e te respondo:

- Nada, anjo meu. Só um sonho ruim que há de passar...


Creative Commons License
Pesadelos by Dianna Montenegro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License.

Um comentário:

Tássia Pellegrini (Tanna) disse...

Você dilacera corações com suas palavras fortes em frases que esgotam o fôlego, ao mesmo tempo que emociona de uma maneira gostosa.

Claro que, para a situação atual, esse texto específico emociona de outra meneira.

Compartilhe!